Comentários

    Quais as diferenças entre React Native e Ionic?

    Veja quais são as características do React Native e do Ionic e entenda suas diferenças!
    By Nathalia Pimentel


    Está aí uma dúvida bastante comum para quem ainda está se ambientando no mundo dos aplicativos móveis: quais são as diferenças entre React Native e Ionic, quando utilizá-los e quais são as vantagens e as desvantagens que os envolvem.

    Tanto um quanto outro se referem ao desenvolvimento de apps, soluções que para muitos já estão sendo vistas como a peça-chave das suas estratégias de negócio. Quanto maior for a organização, mais recursos serão precisos para a criação das aplicações móveis. O mesmo vale para o tempo.

    E é justamente nesse aspecto que o React Native e o Ionic se tornam interessantes, pois sabe-se que a utilização desses frameworks possibilita uma maior agilidade. Dessa forma, eles proporcionam não apenas uma melhor evolução dos projetos, mas também a redução de custos. Isso ocorre porque essas tecnologias permitem o desenvolvimento de aplicativos híbridos.

    Neste artigo nós vamos apresentar os principais pontos em relação a eles. Ficou interessado? Então continue a leitura e confira!

    O que é um framework?

    Antes de tudo, é preciso deixar claro que framework é um conjunto de códigos ou métodos utilizados para desenvolver e integrar as diferentes necessidades que um determinado aplicativo possa ter.

    O oposto disso seria escrever os códigos partindo do zero, algo que exigiria muito mais trabalho no que diz respeito ao processo de desenvolvimento. Ao optar por essa abordagem haverá, por consequência, a necessidade de realizar uma série de testes que com os frameworks já estariam feitos.

    O que é um aplicativo híbrido?

    Conforme já mencionamos, o React Native e o Ionic são tecnologias para o desenvolvimento de aplicativos híbridos. E o que isso quer dizer? Uma vez desenvolvidos eles estarão compatíveis com os diferentes sistemas operacionais, como iOS, Android e Windows Phone, por exemplo.

    Já os aplicativos nativos, por sua vez, são aqueles desenvolvidos especialmente para um determinado sistema operacional, baseados nas ferramentas de cada plataforma. Como exemplo podemos apontar o Swift ou Objective C, para iOS, e Java para Android.

    É por essa razão que há um ganho de eficiência em termos de custos e tempo, uma vez que com o React Native e o Ionic o trabalho será um pouco reduzido.

    O que é o React Native?

    Vistos os conceitos gerais, agora aprofundaremos o assunto um pouquinho mais. Vamos começar pelo React Native, uma estrutura baseada no React, a biblioteca de JavaScript do Facebook para criar interfaces de usuários (UI). A diferença é que em vez de ser utilizado para o desenvolvimento de aplicações web, como o React, ele é direcionado para os aplicativos móveis. Simples assim.

    O ponto a destacar, nesse caso, é que os desenvolvedores web poderão escrever aplicativos móveis que realmente se parecem com os nativos. Tudo isso com o conforto da tão aclamada biblioteca de JavaScript que acabamos de citar.

    Atualmente, o React Native consegue entregar aplicações de muita qualidade nos sistemas iOS e Android, mas, se necessário, tem potencial para se expandir para outras plataformas.

    Vale ressaltar que nenhuma aplicação híbrida se aproxima tanto de uma nativa quanto as desenvolvidas por essa tecnologia.

    O que é o Ionic?

    Criado no final de 2013, o Ionic pode ser considerado como uma estrutura de componentes HTML, CSS e JavaScript, voltada para a construção de aplicativos móveis híbridos.

    Ao analisá-lo, não poderíamos deixar de falar que ele foi construído sobre outra tecnologia, o Cordova, ou melhor, o Apache Cordova, um elemento de código aberto das plataformas PhoneGap, Sass e AngularJS.

    Na prática, as soluções baseadas em Cordova operam em cima de um webview. Por não ser algo perceptível para os usuários, a impressão que se passa é que a aplicação se comporta como se realmente fosse nativa. Embora inferior, o desempenho não deixa muito a desejar.

    O uso individual do Cordova não é recomendado, mas com as possibilidades do Ionic e de outros frameworks o desenvolvimento é bastante facilitado, criando apps híbridos que de fato se assemelham aos nativos, mesmo utilizando das tecnologias ditas como para web.

    No mundo do Ionic, os aplicativos podem ser compilados para diversos sistemas operacionais, incluindo Windows Phone, Android e iOS. Com um foco em performance, design e otimizações, seu emprego é cada vez mais comum.

    Quais são as diferenças entre React Native e Ionic?

    Depois de tudo o que você viu até aqui, chegamos ao momento que de fato queríamos: as diferenças entre React Native e Ionic. Apesar de apresentarem semelhanças quanto ao destino de uso, cada um possui suas particularidades.

    A seguir, resumiremos de forma objetiva os principais pontos a considerar:

    React Native

    • possui uma arquitetura diferente (ele usa os modelos da biblioteca de JavaScript do Facebook para renderizar os componentes de forma nativa;
    • reage na criação de ligação entre o JavaScript e os componentes nativos;
    • permite o acesso a qualquer componente ou API de dispositivo.

    Ionic

    • sistema escrito em HTML, CSS e JavaScript, executado em um webview incorporado em um aplicativo nativo;
    • solução baseada em Cordova, que usa a visão web existente no Android para trabalhar o aplicativo;
    • estrutura que cria uma ideia de código apenas uma vez;
    • necessita usar recursos e APIs de dispositivo por meio de plugins do Apache Cordova.

    Quando se trata do uso de memória, o Ionic exige mais do que o React Native. Ele também é mais lento para carregar os vídeos, já que precisa fazer o download de outro servidor, enquanto o React Native armazena o cache para que o carregamento seja mais rápido.

    No que corresponde à integração, o Ionic usa exclusivamente o código baseado em Cordova, ao passo que o React Native pode utilizar todos os módulos JavaScript do repositório online para publicação de projetos de código aberto, o NPM (Node Package Manager).

    Quais são as vantagens e desvantagens de cada um deles?

    Não menos importante, falaremos também das vantagens e desvantagens que envolvem essas tecnologias. Basicamente, atente-se aos seguintes aspectos:

    React Native

    Vantagens

    • crescente comunidade de desenvolvedores, com uma ótima rede online para suporte (há diversos tutoriais disponíveis);
    • menos tempo para desenvolver os aplicativos;
    • aproximação das equipes de criação (reúne os desenvolvedores iOS e Android);
    • desenvolvimento paralelo (possibilidade de ser facilmente integrado a aplicações já existentes para a implementação de novos recursos, sem a necessidade de recriá-las do zero).

    Desvantagens

    • ainda tem muito a melhorar (há algumas limitações);
    • é bastante técnico (para determinadas funcionalidades será preciso conhecimentos mais aprofundados);
    • um pequeno receio de que um dia o Facebook possa encerrar o projeto, deixando os desenvolvedores a ver navios.

    Ionic

    Vantagens

    • aplicativo construído uma única vez para todas as plataformas (desenvolvimento cruzado);
    • rápida criação, baixos custos e pouca manutenção;
    • o uso “indireto” do AngularJS permite a construção de aplicações ricas e robustas.

    Desvantagens

    • desempenho do app pode não ser tão eficiente se comparado ao desenvolvimento verdadeiramente nativo;
    • exigências de um conjunto de habilidades específicas para a criação de aplicativos mais complexos;
    • elaborar uma boa experiência de navegação para os usuários pode ser particularmente difícil.

    Quando escolher um ou outro?

    Mas e então, quando escolher um ou outro, você deve estar se perguntando, certo? Pois bem, como já falamos anteriormente, o React Native é o que mais consegue aproximar um aplicativo híbrido de um nativo.

    Entrega soluções de muita qualidade nos dois sistemas dominantes, Android e iOS, com ótima performance e comportamento. Os desenvolvedores podem até ser um pouco mais caros, mas os custos ainda são vantajosos.

    Já o Ionic é uma alternativa mais barata e com velocidade de desenvolvimento teoricamente maior. Por ser mais simplista, (HTML + JavaScript dentro de um webview), a comunidade de desenvolvedores é mais ampla.

    Contudo, seu ponto negativo é uma menor performance, especialmente na aceleração do scroll e no comportamento de navegação. Às vezes, isso pode causar certo incômodo nos usuários. Apesar disso, para as pequenas e médias empresas ele acaba compensando devido ao seu custo reduzido e a sua rapidez de entrega.

    Para concluir, é importante compreender que, de uma forma geral, tanto um quanto outro permite a construção de excelentes aplicativos. Como prova, nada melhor do que analisar suas criações, que incluem os apps do(a):

    • Facebook;
    • Skype;
    • Instagram;
    • Walmart;
    • Airbnb;
    • SoundClound Pulse;
    • Uber;
    • Sworkit;
    • Pacifica;
    • Joule;
    • Untappd.

    Entre o React Native e o Ionic, o melhor deles não será definido propriamente pelos seus recursos ou funcionalidades, mas sim pelo contexto que melhor se adapta às suas particularidades. Enfim, o desenvolvimento de aplicações híbridas está ganhando cada vez mais espaço nesse mercado.

    Com os constantes aprimoramentos e a evolução das tecnologias, sabe-se que o potencial dessas ferramentas ainda pode ir muito além do que é hoje. Cedo ou tarde suas falhas e limitações serão praticamente nulas se comparadas às possibilidades de criação nos softwares nativos. Essa é a expectativa dos profissionais.

    Esperamos que este artigo sobre React Native e Ionic possa ter lhe ajudado a entender as características e diferenças entre eles. Você pensa em desenvolver um aplicativo para sua empresa? Comente e tire suas dúvidas.

    Categorias:
      Mobile  
    esse post foi compartilhado 0 vezes
     000
    Sobre

     Nathalia Pimentel

      (13 posts)